EU SEI QUEM SOU.


Não me lembre quem eu sou.
Desnecessário!
Seria uma tarefa tão enfadonha quanto uma apresentação medíocre de uma ópera bufa de artistas monstrengos,inaptos,um bando de amadores que insistem em fazer arte.
Eu sei quem eu sou.
Pequeno e grande, generoso e egoísta,amado e odiado,servil e autoritário, enfim eu sou aquilo que deixaram,foram poucas as chances de tornar-me agradável,alguns tropeços me ralaram todo, não o corpo, mas, e principalmente, a alma!
Coisas internas.
Estas não sangram , mas inundam de opacidade a percepção da vida que fica muito mais cinza do que seria de se desejar.
Besteira dizer que sou o alfa,o ômega,brilho de cauda de cometa,esplendor de uma noite com todas as estrelas grudadas no céu e sem nenhuma ausência.
Sou palhaço de circo mambembe e escondo sim,minha tristeza,nas cores fortes de pinturas grotescas na cara e que, amedronta as crianças.
Até mesmo alguns adultos.
Não sei as razões.
Só uma vez ouvi dizer que eu era bonito de se ver e confortável para conviver.
Foi Deus, num sonho, mas Ele é suspeito.
Nem liguei.

12 comentários:

  1. Pois é, a gente se vê no espelho todos os dias. A gente se vê na vida todos os dias, sabemos que não somos uma unanimidade, sabemos que somos contraditórios e fugazes, mas somos! Um tecido, uma história, muitas vezes nem dependeu da gente, mas num certo momento, com certeza, as escolhas foram nossas (certas ou erradas). Seguimos adiante na fé, porque só ela mesma nos faz levantar todos os dias, não é mesmo? Na amizade, no amor, que construimos aos poucos em nossa curta existência. E nem vale perguntar pra quê? Afinal, tudo tem dois lados, aqui vc fala sério, lá a gente morre de rir juntos! bjs cariocas,
    Cynthia

    ResponderExcluir
  2. CYNTHIA,

    sua generosidade é responsável pelos imerecidos elogios, no entanto, os aceito pois, vindo de uma poeta,mulher de letras e das artes como você,tem para mim valor inestimável!

    Realmente nunca me sentí uma unanimidade, porém tenho dias de minoria absoluta.Reajo, nem sempre consigo.

    Mas, afinal o que é viver, senão estar entre estes contraditórios e enfrentá-los?

    Um abração enorme, Cynthia, do justo tamanho dos braços que nos acolhe, este Cristo Redentor maravilhoso.

    ResponderExcluir
  3. Oi Paulo

    Depois do que escreveu só pensei nesta frase da Alice.

    Lembra o tempo que você sentia, e sentir era a forma mais sábia de saber, e você nem sabia?Alice Ruiz

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI ROSANGELA,

      linda frase de Alice Ruiz e você foi no fundo do baú, agora!

      Um abração carioca.

      Excluir
  4. Costumo dizer, Paulo, que não é necessário saber exatamente quem somos ou o que queremos, mas devemos ter dúvida alguma do que não queremos ser e do que não queremos para nós mesmos. Penso que a maioria das pessoas é meio a meio, com dois lados, duas facetas – às vezes até mais. O que não podemos deixar é que coisas ruins amarguras e momentos difíceis façam parte da nossa vida, nos moldem... isso é desnecessário.

    Meu carinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então AUDREY,

      viver é ir garimpando.

      Muita areia e entulho e quase nenhuma pepita de ouro, mas quando achamos uma somente, valeu o esforço,valeu viver,valeu ter nascido.

      Apesar das marés contrárias, dos ventos derrubando tudo e muita torcida, geralmente contra,entramos na área e se vierem com carrinho por trás é penalti!

      O respeitável público então aplaude, o mesmo publico que minutos antes nos vaiavam.

      Viver é isso e de fato, momentos ruins...fora!

      Um abração carioca.

      E essa pepita de ouro em meio a estes entulhos existenciais

      Excluir
  5. Oi, paulo. Acho que todos carregamos diversas facetas dentro da gente escondidas em máscaras e pinturas, mas Deus sabe qual é a nossa verdadeira essência. Um abraço, bom final de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia,

      pois tem que ser incansável a procura por esta nossa essência,nossa real identidade e muito mais aind , termos consciência das nossas limitações.

      Já é um primeiro passo para sabermos,onde ir, como ir, e sempre olhando para o futuro, esquecendo o passado e como a mulher de lô, não cometermos o erro de admirarmos o passado, pois aí corremos o risco, também de nos transformar numa estátua de sal, imobilizados pelos infortunios que grudam e teimam em não desgudarem de nós.

      Um grande abraço Bia.

      Excluir
  6. olá meu mais novo amigo.
    estou retribuindo a visita ao meu blog e deixando registrado que eu estou seguindo vc.

    amei os seus blogs mais escolhi este.

    bjs

    maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria,

      nome tão lindo e por tras deste "papo de esquinas".

      Seja muito bem vinda e realmente seu blog merece uma visita.

      Mesmo!!!

      Um abração carioca.

      Excluir
  7. Respostas
    1. Oi Elliana,

      que bom você ter gostado!

      Abração carioca.

      Excluir