PARA QUEM ACREDITA QUE COLHEMOS O QUE PLANTAMOS!

     

As injustiças sociais, no Brasil e no mundo parecem caracterizar de forma indiscutível a irresponsabilidade, arrogância, soberba e egoísmo da raça humana.
Somos animais gregários, absolutamente desagregados nas nossas intenções, principalmente,quando estamos no lamacento jogo dos interesses econômicos dos indivíduos em particular, e das nações em geral.
É histórica a existência de poucos que se bastam na opulência financeira e o resto do mundo que, vive em situação precária de mera sobrevivência e constrangedora situação.
A falta de consciência de homens e nações em não perceberem que habitamos todos nós, um só planeta e que não há saída de emergência exeqüível para nenhum outro lugar do sistema solar em situações reais de grandes catástrofes, é que me faz ficar abismado, como pode haver tanta insensibilidade no trato entre os humanos.
Esqueçamos as ideologias políticas, os partidos, as crenças religiosas e sejamos práticos ao considerarmos que os maiores ameaças de destruição da vida na Terra, tem vindo exatamente das nações as quais, os donos do mundo tem negado o mínimo de dignidade para a sobrevivência dos seus habitantes.
O que as grandes corporações financeiras e as nações desenvolvidas fazem com o continente africano é de uma desumanidade explicita, por mais que sejam noticiadas e fotografadas as imensas barrigas de crianças africanas e suas cabeças deformadas e desproporcionais ao resto do corpo. 
Esta é  a conseqüência de distrofias pluricarenciais nutritivas, sinônimo de estado de pré-morte por fome!
Mesmo assim, os donos do mundo ficam impassíveis a não ser, vez por outra demonstrando hipócrita solidariedade com a divulgação demagogica de algum bilionário sorridente, dando alguma esmola àqueles povos de um continente esquecido.
O que, no entanto, os donos do mundo e do capital estão aprendendo é o fato de que, exatamente é desta região do mundo, a qual estão dizimando, é que estão vindo as constantes e maiores ameaças de doenças, espalhando-se por toda a humanidade que já sente-se refém de sérios pesadelos e comprovadas possibilidades de autênticos holocaustos humanos.
Foi assim com a Aids, está sendo assim com o Ebola.
É como se a virulência dos agentes infecciosos destas doenças estivessem querendo lembrar através da sabedoria da natureza de que, só colhemos o que plantamos!
Seria muito mais inteligente que houvesse uma melhor distribuição da renda mundial, para que evitássemos que, dos corpos daqueles cuja imbecilidade financeira está fazendo que apodreçam, infestem democraticamente, o resto do mundo com a possibilidade da mesma morte que os ameaça e a qual eles vêm sendo submetidos há muitas décadas.
O nome disto é globalização das pestes.
A solução? Viver e deixar viver.
E para uma constante reflexão da humanidade,quem sabe, estudar como lição de casa o fato de que a Lei do retorno é inevitável.

27 comentários:

  1. Plenamente de acordo! Invadimos habitat natural dos que chamamos "irracionais" e vamos herdando todas as mazelas derivadas da nossa ganância. Consumismo puro. Rege o ter em detrimento do ser... E, mais do que nunca nossa "plantação" está exígua, e evidentemente, assim também, o será a nossa colheita. Excelente a sua reflexão!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CÉLIA RANGEL,

      e se eu não fosse um otimista por natureza, diria que o futuro estaria absolutamente comprometido, por tanta insensibilidade humana.

      De uns com outros!

      Lamentável.

      Um abração carioca.

      Excluir
  2. Eu não sou tão otimista assim, pois acredito que o descaso com que o mundo veio tratando a África até aqui, certamente, terá que arcar com o devido castigo. Há muito que sabemos da existência do Ebola e assim como foi com a AIDS. Não foram tomadas as devidas precauções pelos países ricos enquanto era doença de africanos. . E a África, antes invadida, estuprada e explorada pelos europeus, é vista hoje, como a ameaça real contra a humanidade. Até aqui no Brasil. bastou um possível caso, para o governo mostrar uma eficiência mequetrefe com fins puramente eleitoreiros. Na TV o assunto ficou no ar por quase uma hora, ao vivo, para no final, o Ministro da Saúde demonstrar um desconhecimento total sobre o que, ou quem do país foi enviado para ajudar no combate à epidemia na África, enquanto o governo investe pesado nosso dinheiro em Cuba.
    De uma coisa tenho certeza, colheremos amanhã sim, o que estamos plantando hoje!
    Abraços e bom fim de semana!
    vitornani.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VITORNANI,

      Uma grande verdade - e agradeço o que disse pois, me ajudará no desenvolvimento de uma outra reflexão - ou seja, quando você afirma que certas desumanidades criavam somente "doença de africanos" e o mundo desta forma assim via, criava-se um distanciamento entre todos e eles que estavam sendo condenados à morte.

      Agora,"a ameaça real contra a humanidade" passou a ser muito explicita na cabeça dos donos do mundo e permita-me Vitornani,justificar então meu otimismo,ou seja,não por humanismo ou solidariedade, mas aqueles que plantaram desgraças entre os africanos,pensarão duas vezes nas suas próprias sobrevivências.

      Tenho ceerteza absoluta que então, os massacres perpetrados contra nossos irmãos do contimente africano,passarão a estar na ordem do dia da preocupação dos poderosos e eles irão eu tenho certeza, plantar a coisa certa,para não colherem mais coisas erradas.

      E se não for desta forma, estaremos todos condenados, por absoluta ignorância e falta de sensibilidade e solidariedade às covas rasas que o mundo tem cavado na África.

      Um abração carioca e fico muito honrado por ter um amigo virtual com o seu tirocínio.

      Excluir
  3. Você está coberto de razão, que ótimo texto! Uma das regiões mais pobres do planeta e que ninguém pensa em ajudar, só tirar vantagens. Quanto dinheiro desperdiçado em projetos mirabolantes, coberto de ganância e vaidade, quando poderia ajudar aquela gente carente demais. Merecemos, todos! De que adiantará fecharem os aeroportos como os americanos e ingleses disseram hoje? Que fiscalização? Só nos resta o medo. Agora Inês é morta...
    Li os comentários e gostei muito. Parabéns pelo seu texto, disse tudo.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TAIS LUSO,

      lamentavelmente ,por enquanto, está vencendo a indgnidade humana e os resultados são alarmantes.


      Um abração carioca.

      Excluir
  4. Existem estudos que indicam que o berço da civilização se deu entre os continentes asiático e africano e parece que o meio ambiente favorece o aparecimento da vida e, eis uma teoria do porquê do surgimento dos novos vírus e bactérias que se espalham pelo mundo inteiro; ao menos tem gente procurando uma explicação científica a fim de encontrar a cura e evitar novas epidemias. Quando o tema é doença, aprecio a cientificidade, mesmo que seja empírica. Mas eu sei que antropólogos que estudam a origem da vida, não somente a vida humana, mas a vida em si, buscam o fim dessas epidemias, sobre as quais pouco se sabe. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ARTES E ESCRITAS.

      torço para que você esteja correta!

      Um abração carioca.

      Excluir
  5. o ébola apareceu em África em 1976 e só agora, porque ultrapassou as fronteiras daquele sofrido continente , é que o dito mundo civilizado estremeceu.

    Em Espanha realizou-se uma gigantesca manifestação contra o abate do cão de uma profissional de saúde infectada , mas não contra o facto da mesma ter ocultado à médica que trabalhara com o missionário falecido nem a algo que acho ainda mais inconcebível , isto é, ter ido depilar-se a um gabinete de esteticista!

    Abomino maus tratos a animais e estou contente por , recentemente, isso ser crime em Portugal...mas daí a dizer que os animais t~em os mesmo direitos que os seres humanos vai um abismo!

    Quanto ao seu texto, evidentemente que estou de total acordo com ele.

    Abraço e bom domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São,

      a reflexão sobre o caso da Espanha foi muito elucidadora.

      Quanto as questões africana são de uma desumanidade ininteligível!

      Um abração carioca.

      Excluir
  6. Paulo, já me peguntei muitas vezes porque as grande e poderosas nações não ajudam a África. É revoltante o descaso deles para com aqueles seres humanos. Na verdade eles querem mesmo que todos morram, mas será que eles não pensam que podem ir juntos? Triste...
    Concordo pelnamente com tuas palavras. Xero

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NÁDIA,

      agora , com certeza, começaram a pensar!

      Um abração carioca.

      Excluir
  7. Paulo, gostei do texto, nos faz lembrar que existimos além do nosso mundinho particular, também somos responsáveis, no mínimo podemos nos posicionar, nos indignar e lutar sim, para que algo seja mudado, passamos também por um momento turbulento em nosso país, e as urnas eleitorais indicam isso. Creio, que já está mais do que na hora de pararmos e pensamos no país e no mundo que queremos viver e deixar como herança para nossos descendentes.
    De fato, é muito triste a situação dos países africanos, além de terem sido explorados durante séculos, vemos o total descaso do resto do mundo quando o assunto é pobreza e doenças, devemos sim, nos condoer, nos sensibilizar e acima de tudo, sairmos da nossa zona de conforto, desatarmos as nossas mãos do comodismo e fazermos o que tiver ao nosso alcance para que algo seja mudado, um grito solitário de socorro, de alerta, deixa de ser solitário quando é dado por muitos.
    " O que há lá fora? Depois dos portões da tua zona de conforto? Não será o caso de atrever-se a escapadas...a aventuras pela vida real? Onde moram as necessidades,onde se proliferam os que gemem...já ouviu falar? Vivemos no mesmo planeta,somos do mesmo pó,respiramos a mesma sina. Não se engane,somos membros de um mesmo corpo...e vamos sofrer,um dia,a dor do descaso que representamos. Cruzemos nossos muros,a indiferença é a pior de todas as misérias... Gi Stadnicki.
    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sub helena,

      obrigado pelo envio do texto absolutamente, exuberante, nos fatos e razões levantadas.

      Um abração carioca.

      Excluir
  8. O homem ainda precisa aprender que, de fato, estamos todos interligados. Vivemos no mesmo mundo e que o equilíbrio dele dependerá do equilíbrio de cada um que nele habita. É difícil deixar de lado as crenças em caso como esses porque são as nossas crenças primárias, aquelas que estão no nosso íntimo, as responsáveis por nossas ações, nossas decisões, nossos passos. Quando digo nossos, também me refiro aos comandantes, aos governantes, àqueles que tomam decisões muitas vezes egoístas. Esquecem-se que respiramos o mesmo ar, bebemos e nos banhamos da mesma água, somos um povo só. Viramos as costas para os menos favorecidos e acreditamos que devemos nos preocupar apenas com o nosso espaço. Ledo engano. O vento que venta lá certamente ventará cá. E poderá chegar com a mesma força. A Terra é redonda, assim como toda ação traz uma reação.

    Bela reflexão, meu amigo!

    Beijo grande


    www.lucadantas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LU,

      neste planeta , não há saída de emergência!

      Um abração carioca.

      Excluir
  9. A existência só humana sé concretiza pelos laços de dependência, pois somos seres naturalmente afetivos, não vivemos isolados, mas a insensibilidade humana e incapacidade de enxergar o mal que causa ao meio afetando a vida de todos nos leva a pensar que o futuro está sim comprometido para as gerações vindouras. Maravilhoso texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EDITH LOBATO,

      "....O futuro está sim comprometido", como você disse, mas espero apenas que, não tenhamos descoberto isso tarde demais.

      Acho que não, ainda é tempo de dar a volta por cima.

      Um abração carioca.

      Excluir
  10. A inspiração fugiu de mim, por isso estive ausente por uns dias...
    Sei que tenho muitas visitas a fazer e pretendo rever com calma todos os blogs que amo.
    Por enquanto, passando para justificar a minha ausência por aqui.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ANI,

      fique tranquila e obrigado pela atenção.

      Um abração arioca.

      Excluir
  11. Faltando e sempre é bom sobrar empatia, senso de coletividade, de consciência das coseqüências de tudo que fazemos ou deixamos de fazer.
    Faltando sensibilidade e ser a diferença vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá TINA,

      exatamente, ser a diferença na desigualdade,ser a diferença na desumanidade e fazer a diferença entre tantos outros seres humanos desprovidos do menor senso de solidariedade, é a obra que todos poderiamos construir.

      Viu? Uma palavra faz toda a diferença!

      Um abração carioca.

      Excluir
  12. A lei do retorno tarda mas n falha...bjos www.anaherminiapaulino.blog.uol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aninhapaulino,

      nunca tive dúvida!

      Um abração carioca.

      Excluir
  13. A insensibilidade, a falta de amor e de respeito pelo ser humano, menino PAULO, está trazendo sérias consequências. Com certeza a humanidade está colhendo aquilo que plantou. É a Lei do Retorno, graças a Deus!

    Meu carinho!

    ResponderExcluir
  14. AUDREY,

    foi o que eu disse.

    Um abração carioca

    ResponderExcluir
  15. Receio que se a situação se mantenha. Cada vez mais se caminha para o culto do individualismo.
    Apreciei imenso estas reflexões das quais partilho.
    Bjo, Paulo :)

    ResponderExcluir