OPÇÃO DE AMOR.

                                                 

Nossos corpos imitam a vegetação da natureza. Temos rios internos que caminham com a seiva da vida por todas as partes irrigando nossos órgãos. Sobrevivemos então.
E guardamos também dentro de nós muitos vulcões, aparentemente extintos. Apenas aparentemente!
 E o que dizer de uma imensa floresta com nutrientes variados para manter de pé esta árvore da vida que caminha conosco desde o nascimento. Somos árvore, também.
Fortes troncos que sustentam imensas copas de folhas e até flores de tantas e variadas cores.
A vida humana fica sempre refém das integridades das margens dos nossos rios internos que, podem receber muita água em suas nascentes, pelo inesperado de tempestades ocasionais e que, engrossam suas águas e parecem que levarão tudo a perder.
Aquele vulcão sempre sob controle e que, parecia nunca mais iria explodir, um dia começa a fazer muito barulho e dentro de nós tremem todas as nossas convicções que parecem estar sendo engolidas pela nuvem negra de lava expelida em golfadas incontroláveis, da sua cratera enraivecida e exposta.
Nossos imensos buracos de dor!
E possível, também que em torno do tronco que mantém de pé nossas vidas, comecem a vicejar todos os tipos de ervas daninhas que grudam ali, parasitariamente e enfraquecendo toda a nossa saúde, sugando a seiva da alimentação vital da sobrevivência de tantos sonhos construídos e antes, sob a sombra generosa de uma frondosa proteção de verdes folhas de esperanças.
Vamos secando e parece irremediável que, a ação dos ventos fortes das incertezas e contrariedades quebre toda nossa estrutura em um momento de fraqueza.
Seríamos somente isso? Estaríamos sempre condenados e indefesos a qualquer mudança na ecologia dos nossos sentimentos e emoções?
Não, pois é hora de olharmos para o voo dos pássaros!
Necessário de faz então nos desprendermos do solo que está começando a desfazer-se entre brechas secas de um árido momento de desilusão.
Chegou a hora de transcendermos das amarras que nos prendem encurralados no canto escuro de uma situação adversa e com as asas enroscadas nas nossas próprias inseguranças.
É hora de mais uma vez olharmos para o voo dos pássaros.
Então teremos a certeza de que, eles também são parte da natureza como nós, porém distantes das armadilhas que nos prendem aqui embaixo.
É o momento de transcender, romper limites, criar novos espaços e outras tantas possibilidades que abram novas janelas, na infinitude da sua grandeza.
Que o faça voar como os pássaros e ver de cima o que, estava destruindo sua felicidade.
Transcender então seria colocar em ação aquele conjunto de atributos próprios e, ainda escondido nas reservas finais de nossas forças.
É hora de usá-las!
Mas seria de bom tom, de muito boas maneiras, e um ato definitivo de inteligência que, para desprendermos, transcendermos e voar mais alto do que todas as nossas mazelas  humanas, aceitássemos dar as mãos àquele que conosco voará por todos o céus das nossas novas vidas: Deus.            





43 comentários:

  1. Texto belissimo... é isso...optar por ser o melhor que podemos ser...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FRIDA,

      e sempre sabendo que, jamais estaremos sozinhos,pois a força do amor no levará sempre ás melhores opções.

      Um abração carioca.

      Excluir
  2. Simplesmente divino !!!!! ameiiiiii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MOENA,

      "simplesmente divino" acertou na forma e conteúdo!

      Um abração carioca.

      Excluir
  3. Lindo texto. Apesar "da ação dos ventos fortes das incertezas e contrariedades quebre toda a nossa estrutura em um momento de fraqueza", é a ordem natural da vida: temos que seguir em frente, sempre. Aprendemos assim... Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sub helena,

      costumo dizer que, é impossível chupar sorvete sem derreter.

      Então amiga, os "apesares" sempre estarão nos nossos caminhos e como corretamente você falou,exatamente para propiciar nosso aprendizado.

      Um abração carioca.

      Excluir
  4. Otimo texto! Caiu como uma luva hj :)

    ResponderExcluir
  5. JULIANA,

    as mãos também podem estar vestindo luvas.Concorda!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  6. Paulo,
    Emocionante! E real!

    É a presença do sabido conflito do nosso eu interior e o mundo exterior, o mundo de todos.
    Gera tudo que você discorreu, e, muito bem, em seu texto.
    Sempre quis voar... É difícil, trabalhoso, mas não impossível.
    É preciso que se acredite através da fé, nossa maior aliada na vida, que apesar dos pesares, sempre existe um novo amanhã com
    uma nova porta aberta.
    De mãos dadas com Deus, nosso Pai Maior, começamos a nos tornar mais leves; e o desprender, transcender e chegar a voar mais compreensível e aceitável.
    Lembremos que esse aprendizado não se resume no agora, é um caminho longo, vindo do antes; dessa vida inteira e de muitas vidas novas.

    Um abraço paulista ao amigo carioca

    ResponderExcluir
  7. VERA ,

    e necessário responder ao momentos menos gratificantes das nossas vidas, com atitudes incisivas e não usuais,aquelas que sempre guardamos como necessárias para serem usadas , quando do tudo ou nada.

    A fé em Deus é aliado imprescindível e o amor ao próximo uma obra constante.

    O amor em todas as suas formas, definições e grandezas é o que eleva e transcende o ser humano na conquista da felicidade!

    Um abração carioca..

    ResponderExcluir
  8. Simplesmente lindo Paulo!
    Esse vulcão que transborda de emoções.Essa luta contra a tempestade.
    Essa força e vontade de ser livre como os pássaros.
    Realmente temos que ter muita força! Para conseguir vencer todos os obstáculos da vida,e principalmente ter fé em Deus.
    Parabéns pelo texto.
    Bom dia.

    ResponderExcluir
  9. NELMA,

    são as nossas forças internas,disponíveis para o piores momentos, à nossa disposição sempre que motivações reais se apossam de nós, então elas dizem presente.

    Obrigado Nelma,por sua contumaz presença por aqui, o que, muito me orgulha.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  10. Olá Paulo, seu texto é uma aula de reflexão sobre nós.Quanto tempo perdemos em um único lugar e nossa alma não consegue voar, pois não damos ordem ou força para que ela se eleve.Nossas emoções são enormes e de diferentes sensações.Porém, quando pensamos que estamos sozinhos, Deus nos carrega nos braços. Lindo o seu texto. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. MARLI,

    e ao voarmos com Ele,aprendemos sim, o amor incondicional.

    Talvez então, saibamos distribuir aqui por baixo, nossos melhores sentimentos de afetividade,generosidade,solidariedade e verdadeiro amor ao próximo!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  12. Caro Paulo,

    Grato p/ visita e comentário. Todavia não consegui localizar tua postagem em que solicita o humilde comentário deste jornalista lutador. A propósito, a matéria em que comentou é do nosso colunista O INDGNADO em nosso Jornal(site) CPIBRASIL.COM Abrçs. Roy Lacerda.

    ResponderExcluir
  13. Roy,

    grato,por tudo!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  14. Paulo: todas as respostas encontram-se dentro dos nossos corações..bem dentro.
    abraços carinhosos

    ResponderExcluir
  15. LIA,

    é exatamente onde devemos procurá-las!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  16. Oi Paulo, que apologia lindíssima você construiu nesse texto!
    E ainda envia uma mensagem gritante que é assim como salvar vidas humanas, precisamos salvar o VERDE - oxigênio pra todos!
    Parabéns pela essência e essa escrita bem urdida.

    Obrigada pelas visitas em meus bloguinhos com suas gentis palavras.
    abraços

    Lu C.

    ResponderExcluir
  17. LU,

    você é merecedora das visitações de todos nós.

    Seus blogues são ótimos e desejo estes êxitos continuados.

    Sinceramente!

    Um abração carioca e obrigado pela generosidade dos seus elogios.

    ResponderExcluir
  18. Que bom ler esse texto.
    A antiga injunção "Conhece-te e ti mesmo", inscrita em pedra no portal do Oráculo de Delfos, se aplica não só aos conhecimentos de natureza espiritual, mas, também no seu aspecto físico. Muitas pessoas viajam , conhecem lugares, mas, não conhecem seu próprio corpo, morada da mente, a mais extraordinária estrutura do mundo.
    Paulo, um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SHIRLEY,

      exatamente assim,viajam só para fora!

      Um abração carioca.

      Excluir
  19. Layslla,

    obrigado e o meu carinho para você e este povo pernanbucano.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  20. Belíssimo texto!! Bem vindo ao nosso blog e obrigada!!

    ResponderExcluir
  21. Autocura, você também e seu blog, é muito completo, estarei sempre lá.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  22. Conhecer-se a si mesmo, é perceber as limitações, mas também sentir que trazemos um rio à cintura, que por si só, nos rega as raízes...

    Excelente texto, que gostei muito de ler.

    Deixo um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SÔNIA,

      "...rio à cintura, que por si só, nos rega as raízes..."!!!

      Depois disso, nada, absolutamente mais nada a dizer.

      Lindíssimo!

      Um abração carioca.

      Excluir
  23. Eu estou em deus e vice-versa.

    belo texto

    beijos

    ResponderExcluir
  24. Bom dia Paulo!

    O amor... ele está em mim, nos campos, nos rios, na terra, mesmo seca, mais com a esperança de novas sementes, novos amores e textos como o seu com sensibilidade e reflexões de nós mesmo.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  25. FÁTIMA,

    e que ótimo que seja assim,bom para você , melhor ainda para a natureza que carrega no colo todas estas novas e sempre renovadas sementes,concorda?

    Um abração Fatima.

    ResponderExcluir
  26. "E guardamos também dentro de nós muitos vulcões, aparentemente extintos. Apenas aparentemente!"
    Sensacional. Belíssimo texto.

    Beijos,
    Blog | Youtube

    ResponderExcluir
  27. NINA,

    sua generosidade para os elogios são comoventes.

    Muito obrigado, mesmo!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  28. Um Excelente texto Paul,
    é mais que hora de colocarmos uma dose maior de importância nas coisas que tem importância .E prescrutando-nos haveremos de descobri-las.
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LIS,

      aí está a palavrinha mágica: dar importância ao que é importante,simples assim!!!

      E sabe LIS, nossas vidas andam muito cercadas de pequenos e inúteis problemas,pois,parece que de repente nos esquecemos que o certo é o que está certo,mesmo e ficamos aturdidos por modismos inconsequentes etc e e tal...

      Tenho absoluta certeza que você me entendeu!

      Um abração carioca.

      Excluir
  29. ... 'perscrutando-nos' é o correto ok?
    isso que dá querer usar um termo destes!! rsrs
    outro abraço pra aliviar o 'mico' rs

    ResponderExcluir
  30. LIS,

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk,

    epa lis, você agora me levou a fazer uma coisa que adoro, quer dizer "uma das coisas " que é rir muito!!!

    Se você pudesse - conforme suas palavras - pagar estes micos de vez em quando, eu adoraria, que fossem toda hora ,pois rir faz tão bem... e sua criatividade para dar a volta por cima foi sensacional!

    Posso contar com novos e adoráveis micos como este?kkk

    Muito criativo!!!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  31. Quem somos nós, afinal ? Um punhado de carne , um coração insistente e uma eterna vontade de ser melhor a cada manhã!
    Como sempre , mandando bem nos textos ....
    Estava com saudade daqui!
    Beijo e meu carinho sempre

    ResponderExcluir
  32. MENINA FÊNIX,

    creia que a saudade é mutua e espero que à partir de agora ,inexista,

    "nesta nossa eterna vontade de ser melhor a cada manhã!"

    Um abração carioca, Menina Fênix.

    ResponderExcluir
  33. Um texto que, além da qualidade da escrita, nos transmite uma mensagem de esperança e fraternidade...

    Paulo, fraterno abraço por sobre o Atlântico(que é tão largo...)

    ResponderExcluir
  34. SÃO,

    e por ser desta largura,cabe exatamente nossos mútuos respeitos e amizade!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  35. Belo texto, Paulo. A irmandade dos sensíveis que transbordam em palavras está bem representada. Um grande abraço.

    ResponderExcluir